Capitalismo Consciente: O que é?

Posted on
capitalismo consciente

Capitalismo Consciente

Você consideraria insano alguém afirmar que, mesmo num sistema capitalista, o propósito maior de uma empresa deveria ir além do que somente gerar lucros e ganhar cada vez mais dinheiro?

Para parecer mais insensato ainda, o quão alucinado essa pessoa seria ao dizer que, além do propósito maior não ser ganhar dinheiro, afirmasse também que os lucros só seriam uma consequência de ter esse propósito maior atingido?

Parece loucura, né? Afinal de contas, aprendemos que no capitalismo, como o próprio nome sugere, tudo gira em torno do capital, a linha entre o ‘poder’ e o ‘não poder’ é muito tênue e está totalmente vinculada ao acesso ao dinheiro.

Dessa forma, grosseiramente falando, o pensamento da maioria das pessoas é que, quem tem dinheiro, automaticamente tem status, quanto mais dinheiro, mais poder, quanto mais poder, mais dinheiro… e assim segue-se este círculo sucessivamente.

Sendo assim, como seria possível que uma empresa botasse em prática uma teoria que dissesse que o objetivo principal deveria ir além da obtenção de lucros?

Já vimos aqui no blog que o mundo está em constante evolução.  Em todos os aspectos, tudo evolui.

O sistema capitalista, mais cedo ou mais tarde, também passará por essa evolução, pois o excesso deste ‘capitalismo tradicional’, que visa os recursos financeiros como a principal razão do desenvolvimento de uma empresa, já é fortemente questionado, indicando a necessidade de revisão dos seus conceitos.

Importante frisar que não estamos falando aqui de um novo sistema de relações socioeconômicas, muito menos de uma revolução socialista ou comunista.

Acreditamos que o capitalismo continua sendo o melhor sistema de desenvolvimento da liberdade econômica, porém, acreditamos também que é possível que exista um outro nível de entendimento e conscientização sobre qual o verdadeiro objetivo do capitalismo.

Esse novo conceito do capitalismo é chamado de Capitalismo Consciente e sua denominação não é por acaso. A importância de uma nova consciência na relação com o capital é essencial para a manutenção do sistema e primordial para evolução socioeconômica mundial.

CAPITALISMO CONSCIENTE

Basicamente, o capitalismo consciente é um conceito de negócios amplamente difundido e aceito por grandes corporações e empresas em gerais. Trata-se da criação de um modelo que não visa somente à geração de renda e lucro empresarial, mas que cria valores e reconhecimento a todos os envolvidos num projeto, como valores intelectuais, sociais, culturais, financeiros, emocionais, etc.

A preocupação com o atual modelo do capitalismo passa, dentre outras, por questões ambientais e disseminação da miséria. Inclusive a ONU – Organização das Nações Unidas reconheceu que a participação das empresas privadas é determinante na solução dos problemas da humanidade, como os citados acima.

Em 2015, o então Secretário Geral da ONU disse que as soluções para a miséria e a degradação do meio ambiente, além de outros desafios, terão um caminho muito mais longo se não contar com a conscientização e participação do setor privado.

Porém, para se adequar a esse novo modelo de capitalismo, é necessário se atentar a alguns pilares básicos do capitalismo consciente para alcançar os melhores resultados possíveis.

PRINCÍPIOS BÁSICOS DO CAPITALISMO CONSCIENTE

Geralmente, o verdadeiro empreendedor, ao idealizar seu empreendimento, não deseja somente ganhar dinheiro. O empreendedor, quando começa seu negócio, almeja a realização de um sonho que, obviamente necessita da obtenção de lucro para sua manutenção no mercado, mas que vai muito além disso.

Esse sonho é o que chamamos de propósito. Esse é o tal propósito maior citado no começo dessa publicação. A maioria das empresas nascem assim, com um propósito.

Acontece que no meio do caminho, o capitalismo tradicional engole esses sonhos, fazendo com que o dinheiro, na pessoa de acionistas e investidores, ou até mesmo a pressão do mercado em si, passem a dominar as operações da empresa, desnorteando o verdadeiro propósito inicial. Afinal de contas, o objetivo principal do capitalismo é obter cada vez mais lucros.

O pior é que o capitalismo faz parecer que esse abandono do seu sonho acontece de maneira natural, pois esse é um dos conceitos do capitalismo (objetivar somente os lucros), que como já dissemos, é frequentemente questionado na nossa sociedade atual.

Outro fator que merece atenção é com relação à ausência de uma figura ciente disso e disposta às mudanças. A ausência de um líder consciente contribui muito para a mudança de ideologia e abandono dos propósitos.

Um líder consciente é aquele tipo de pessoa que pensa, fala, age e que, principalmente, é coerente. A maioria dos líderes de empresas (e líderes de governo também), como observamos na mídia atualmente, são líderes que pensam uma coisa, falam outra coisa e agem de uma terceira forma, totalmente dissociadas entre elas.

Isso não é consciência. Liderar com consciência é alguém que interligue com coerência aquilo que se pensa com aquilo que se diz e faz, fator essencial para o progresso de uma empresa simpatizante do capitalismo consciente.

Um líder consciente também possibilitará que sua empresa saia da visão de que o acionista ou investidor é o grande (ou único) beneficiado da empresa, fazendo com que todos os envolvidos no projeto, desde os colaboradores, passando pelos clientes e obviamente, os investidores, sejam agraciados e tenham seu merecido reconhecimento.

Trabalhando com esse nível de conscientização, uma empresa adepta do capitalismo consciente permitirá que toda essa cultura permeie pela organização inteira, não ficando limitada somente ao topo da empresa.

Basicamente, esses são os pilares para se obter o sucesso esperado no capitalismo consciente: Manutenção do propósito inicial, orientação dos envolvidos no projeto com cultura e liderança conscientes. Esses princípios permitem que as empresas criem vínculos e negócios mais saudáveis e resistentes.

Ainda acha improvável que esse upgrade do capitalismo funcione?

Pois então vejamos detalhadamente… Seguindo os pilares expostos acima:

1 – Liderança no capitalismo consciente

Quando uma pessoa nasce para liderar, ninguém tira esse brilho dela. É algo que foi determinado! Um verdadeiro líder externa seus primeiros dotes de liderança ainda na infância… E a partir de então, por onde ele passa sua personalidade vira sinônimo de sucesso e inspiração.

Cabe aqui ressaltar que um líder não precisa ser necessariamente um patrão, ou um superior hierárquico. Um verdadeiro líder é aquele que consegue exercer influência sobre o pensamento e sobre o comportamento das outras pessoas, pois, independente da hierarquia, possui os dons de coordenar os outros.

Sendo assim, não dá pra negar que um líder sempre estará no topo em qualquer situação, o que reforça a tese de que líderes são sinônimos de inspiração.

Agora, imagine líderes (desses, que muitos se espelham) com ciência de que verdadeiros empreendedores não se restringem aos lucros. Com consciência de que também é papel da empresa privada colaborar para regeneração dos valores sociais no mundo?

Se líderes são inspiradores, mais pessoas se espelharão nas suas ações e seus conceitos, criando uma onda que só tende a crescer positivamente.

No capitalismo consciente, o papel que a liderança consciente exerce é essencial para conseguir interagir e integrar todos os envolvidos em um projeto, e essa orientação dos envolvidos também é de extrema importância para lograr êxito no capitalismo consciente.

2 – Orientação dos envolvidos

 

Dificilmente se obtém êxito nesse mundo trabalhando sozinho. Um verdadeiro líder sabe dessa importância e valoriza todo recurso humano disponível. Aliás, como já dito, um líder nato sabe da importância de todos os interessados (stakeholders) num projeto, desde os colaboradores, passando pelos clientes até chegar aos investidores.

Entretanto, para poder distribuir os benefícios do capitalismo consciente entre todo o público estratégico da empresa, o líder e sua equipe de apoio devem estar trabalhando de maneira sincronizada, com princípios, valores e cultura interligadas e congruentes entre si. Somente dessa maneira é possível tirar o capitalismo consciente do papel.

Essa missão primordial de orientar e integrar todos os envolvidos no projeto, proporcionando – e não somente exigindo, que cada um doe o seu máximo, compete basicamente ao líder consciente.

3 – Cultura Consciente

capitalismo consciente

“The Culture eat strategy for lunch” – Peter Drucker.

Ao dizer que ‘A cultura come a estratégia no almoço’ (tradução livre), o famoso mentor da administração Peter Drucker quis dizer que, sem uma cultura madura não há estratégia que resista. E venhamos e convenhamos, esse cara realmente sabia como identificar e articular as chaves para o sucesso nos negócios.

Afinal de contas, a cultura consciente é responsável por incorporar os conceitos que formavam o alicerce do seu negócio lá no início de tudo à concepção estrutural do mesmo, propriamente dito. Em outras palavras, é essa cultura consciente que vai contribuir que seu propósito maior não se perca pelo meio do caminho.

E o líder, em conjunto com sua equipe envolvida e devidamente orientada, é o que possibilita que essa cultura consciente permeie suas ações a fim de conectar todos os seus interessados ao propósito maior da empresa, criando, novamente, uma onda que só tende a crescer positivamente.

Uma cultura consciente promove o amor e o cuidado, construindo uma confiança singular entre os membros de uma equipe ou da empresa em geral. Uma cultura consciente é uma força energizante e unificadora, que realmente traz um negócio consciente para a vida, da teoria para a prática.

4 – Propósito Maior

capitalismo consciente

Se sua empresa é capitaneada por um líder consciente, que sabe como orientar os envolvidos e consegue distribuir sua cultura consciente entre todos os interessados num projeto, fatalmente você atingirá o famigerado propósito maior.

Parece uma expressão matemática e o resultado dessa equação é a percepção que, se somente almejarmos o lucro, possivelmente mais cedo ou mais tarde ele virá. Entretanto, se fizermos o nosso melhor, se utilizarmos o capital de maneira consciente, nossa recompensa valerá mais que tudo, atingiremos o propósito maior… e ainda teremos receita positiva no final do mês.

Tome você como exemplo. Possivelmente você deve ter preferência por alguma marca, seja de roupa, sapato, cerveja ou refrigerante. Se por exemplo, uma marca semelhante, de qualidade praticamente similar, optasse por apoiar uma boa causa que lhe fizesse sentido, você não trocaria de marca?

O capitalismo consciente é um bom negócio no final das contas. Fazer o bem é um bom negócio atualmente. O mundo ainda é bom.

Depois de ver detalhadamente, ainda acha improvável que num sistema capitalista uma empresa consiga obter sucesso seguindo seus propósitos; se praticar o capitalismo consciente?

Pois então sinta-se convocado a conhecer um pouco mais sobre os valores da MultPainel Painéis e Lousas de Vidro.

Aqui na MultPainel apoiamos o capitalismo consciente e dentro das possibilidades nos esforçamos para quebrar esse ciclo do capitalismo tradicional, as mazelas desse capitalismo agressivo, sempre buscando nosso propósito maior na esperança de inverter essa ordem cruel que o capitalismo tradicional proporciona.

Nossa filosofia visa valorizar as pessoas ao máximo, proporcionando que elas também entreguem seu máximo, de maneira que nossos colaboradores tornem-se nossos amigos e mantenham-se motivados sempre em busca do crescimento pessoal e profissional, juntos.

Nossa percepção sobre o papel da empresa privada na sociedade evoluiu! Tudo evolui! Nossa liderança tem noção de que, com a orientação consciente de todos os envolvidos, esse conceito de consciência do capitalismo só pode gerar resultados num futuro bem próximo.

Na MultPainel o capitalismo consciente já dá resultado! Somos pioneiros no mercado de lousas e painéis de vidro nacional. Possuímos a patente da lousa de vidro no Brasil e nosso sucesso nos eleva ao mesmo patamar de empresas fortes e estáveis; e estabilidade atrai parceiros, parceiros geram receitas… enfim, essa evolução do capitalismo nos cativa e está confirmada que dá resultados.

Nosso crescimento é consciente e a MultPainel é muito mais que um negócio do segmento de lousas de vidro. Na medida do possível, utilizamos nossas estruturas para servir o bem estar e o desenvolvimento da humanidade.

Ao distribuir essa cultura consciente entre todos os envolvidos permitimos que a ideia de que empresas podem e devem contribuir para o bem da humanidade sem dar prejuízos seja repassada, mantendo em curso àquela onda que só tende a crescer positivamente.

Não temos a intenção de dizer que o capitalismo consciente é a única salvação. Porém, acreditamos fielmente que alguma coisa precisa mudar e o capitalismo consciente pode sim ser uma das soluções. A noção de lucro que o capitalismo tradicional nos passa ainda é muito forte, mas diversas iniciativas começam a despontar para, ao menos, tentar inverter esse pensamento, e o capitalismo consciente pode ajudar.