Lidando com a procrastinação: Faça agora!

Posted on
procrastinação

Vamos entender o porquê da procrastinação ser tão comum.

Uma olhadinha no e-mail, dar uma checada no celular. Um pensamento aqui, outro ali e assim as tarefas começam a demorar mais tempo e ficar mais trabalhosas. Eu passo por isso, se você também passa: seja bem-vindo ao mundo da procrastinação…

Através de uma visão crítica não é necessário ir longe para compreender o prejuízo que a procrastinação gera na rotina de trabalho. Quando levo em consideração o longo prazo, então, são horas e mais horas desperdiçadas. Estar ciente dos efeitos prejudiciais da procrastinação parece algo óbvio, no entanto, resistir a uma levantadinha de cinco minutos que acaba virando quinze (ou mais) se revela bastante difícil. Mas por quê? Afinal, qual é o encanto da procrastinação?/

Há diversos motivos pelos quais vamos empurrando as tarefas com a barriga, cada um de nós cria as próprias armadilhas que levam as pausas em momentos inoportunos. Sabendo disso, fui atrás de alguma generalização para conseguir evitar meu hábito de procrastinar, algo que me explicasse melhor o motivo pelo qual paramos se sabemos que só causará mais demora em nossos trabalhos.

Em minha busca por respostas achei as explicações que a psicologia cognitiva comportamental apresenta para curar os procrastinadores. São três grandes motivos que levam as paradinhas, eu me enquadrei certinho num deles e desde já comecei a aplicar as técnicas para obter uma melhora. Veja você se também se enquadra em um desses motivos gerais.

O primeiro trata-se de não conseguir visualizar o prazer do cumprimento da tarefa. Normalmente quando estamos realizando tarefas de rotina, ou que não sabemos ao certo porque estamos fazendo o que estamos realizando, caímos na armadilha de “dar uma paradinha, fazer depois”. Uma dica para aqueles que se encaixam nessa situação é realizar imagens mentais do quanto satisfatório seria estar com a tarefa pronta toda vez em que estiver pensando naquele “break” dos afazeres.

Outro grande motivo para cair na tentação da procrastinação é quando nos deparamos com tarefas árduas, extensas ou que consideramos de grande complexidade. Nesse caso não tem jeito, procrastinar parece obrigatória. O correto quando estamos nessa situação é dividir em partes o trabalho, fazer um planejamento com etapas que podem ser alcançadas num intervalo de tempo curto. Pré-determinar as pausas ajuda bastante, considera-las como recompensas pelo trabalho feito faz com que o dia renda muito mais. “Assim que acabar essa etapa do trabalho, vou me levantar e relaxar um pouco”.

Completando a lista dos três pilares da procrastinação temos um motivo que certamente já ocorreu na vida de todo mundo. Esse é o meu motivo! Dar aquelas longas pausas quando estamos fazendo algo que não gostaríamos de estar fazendo, mas devemos fazer por pura obrigação. Nesse caso, a dica é reavaliar a necessidade do afazer e perguntar-se: “O que ocorreria se eu não fizesse? Realmente não gosto do que estou fazendo? Quais os benefícios em não fazer? E em fazer?”

Galera, podem parecer dicas simples, mas não engane a simplicidade delas com uma falta de eficiência. Levei a fundo esses conselhos e não é que você percebe que consegue resistir bem melhor à procrastinação! Através de simples questionamentos e um olhar mais externo podemos realizar a mesma quantidade de tarefas que fazíamos em oito horas agora em seis. Calcule no intervalo de um ano, quanto tempo você ganharia? Vale a tentativa!